quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A vida sem filhos


Olá, pessoas,
Sem novidades boas, só algumas considerações...
Estamos, o marido e eu, enjoando dessa história de filhos que não vêm nunca...
Conversamos, queremos fazer outras coisas, ter outros planos, viajar no réveillon e queremos ir para Europa ano que vem...
Então, mudamos um pouco os planos:
A nossa última tentativa será no ano que vem. Não estamos mais pensando em mais duas tentativas antes de pôr uma pedra sobre o assunto. Só mais uma. Será a última.
Sabem, sei que a trajetória não é tão grande quanto de tantas outras pessoas, mas é um assunto que já está nos cansando, esgotando financeira e psicologicamente. Foram 3 anos de tentativas mensais, tabelinhas, expectativas e decepções com os red days. Foram choros mensais, centenas de promessas, orações, esperança, revolta, etc.
Depois veio o diagnóstico de que os homenzinhos do marido não tinham como gerar uma criança naturalmente e partimos para os tratamentos. Uma ICSI em fevereiro, outra em abril do mesmo ano, as duas com resultados negativos.
Depois, enquanto consultamos mais uma dezena de médicos, fizemos mais um calhamaço de exames e nos recuperávamos do desfalque financeiro e do esgotamento emocional, resolvemos tentar a adoção. Dois anos depois do último tratamento, entramos para a fila de adoção. Veio a nova lei quase que no mesmo mês que entramos na fila. Passaram-se 2 anos, tentamos adotar uma bebezinha e descobrimos que adoção virou artigo raro com a nova lei (vi uma reportagem essa semana que a nova lei reduziu em até 85% as adoções no país), descobrimos também que a fila não andou praticamente nada por aqui, então, entre praticamente zero expectativa de me chamarem na minha cidade, zero chances de adotar em outra cidade e trazer para cá (o fórum daqui já deixou claro que tira a criança) bem, recebemos ótimas indicações do Dr. Karam e resolvemos tentar de novo. Tentamos esse ano. Realmente gostamos muito dele, da equipe e da maravilhosa clinica em Curitiba.
Então, viajamos 500 km e tentamos mais uma ICSI, desta vez Super-ICSI: Negativo de novo.
Ao todo, nos três tratamentos, foram 10 embriões transferidos. 6 de qualidade excelente.
Então por que nenhum implantou?

Já são 7 anos desde que parei de tomar pílula e resolvemos deixar acontecer...
Enfim.

Decidimos que a próxima tentativa será a última. Como a Ane disse, precisamos aprender a enxergar os sinais.
Faremos em Curitiba de novo, pois realmente gostamos muito do tratamento, creio que em Janeiro. Se não der, vamos gastar esse dinheiro das FIVs viajando pelo mundo!

Meninas, já não me sinto triste quando minhas amigas ficam gravidas, nem quando vejo bebês por aí. Já faz um bom tempo. É como se isso não fosse comigo. Enfim, acho que estou começando a viver o que a Cláudia Colucci passou a sentir. Talvez por isso tenha achado o post dela tão tocante.

O ninho vazio já não incomoda tanto. Já não é considerado vazio. É minha casa, minha familia, mesmo que sem crianças. Tenho meu super-companheiro, que esteve em minha vida desde que eu tinha 15 anos. Já são 20 anos de história conjunta...

Ah, sim eu gostaria de dar um neto para minha mãe, queria ter alguém para contar a história de nossa família, queria um dia poder amenizar de alguma forma a dor da partida do meu irmão e ter a expectativa de vida dentro de nossas casas de novo. Queria ter uma criança para aprender as coisas simples de novo, aprender a amar sem limites, a viver pensando mais em outra pessoa do que em si mesmo. Brincar de novo no chão, pensar coisas simples e bonitas da vida como sobre as árvores de um parque, olhar uma coruja, ver as estrelas ou as minhocas no quintal...
Mas não aconteceu. E tenho que estar certa de que talvez nunca aconteça.

Então, vamos tentar de novo, mas vamos colocar a nossa vida nos trilhos, pois tudo que podíamos fazer fizemos e não dá para continuar mais sete anos assim...

(Até que eu fiz bastante se pensar em tudo isso aí, não?)

Afinal, tudo está bem, estamos com saúde, ainda temos empregos que nos permitem viajar e bom, ainda podemos viver, aproveitar os pais que ainda estão com saúde e ao nosso lado, sair mais, beber mais (yeahh!), ir a mais shows, sair mais com os amigos...

Vamos viajar no reveillon (Cancun ou um Cruzeiro), fazer a FIV em janeiro, e definitivamente vamos para Europa entre Julho e Setembro do ano que vem.

E o filho? Bom, o filho definitivamente não está em nossas mãos.

Eu não desisti e ainda acho que essa pode ser a tentativa que vai nos dar nosso filho. Mas está na hora de pensarmos em nós um pouco...

Então, se der certo, essa será nossa nova vida (filhos, fraldas, choro, etc.), se não der, vamos começar a aproveitar a velha.

Beijos e ótimo final de semana!


***

Ahh, ganhei um Oscar Projeto Bebê da Tati, mas não consegui colocar aqui, meu micro está uma eca...
Tati, obrigada linda! Que seu Projeto venha logo!

15 comentários:

Rose disse...

Amiga primeiro quero te dizer que....seus posts não esta atualizando pra mim...por isso as vezes não venho aqui.....são tantas seguidoras lá....q juro q tenho ir em todas...massss preciso de um sinal...rs

Quanto ao seu post...lindo....sensato e tocante....sim concordo com vc em tudo....mas ó posso falar....eu ainda penso....q vc vai engravidar....nessa q vc diz ser a ultima vez q tentara uma tto....pois será o tto q vai lhe trazer seu baby....vou orar...vou pedir muito por vc viu....Deus te abençoe!!!

Bjusss

Tati disse...

Querida Dalila , não sou ninguém para achar ou deixar de achar qualquer coisa da sua vida, mas me arrisco a te dizer que vc está certa.Sabe, aprendi que todas as nossas decisões, no final sempre serão as melhores , no final...veremos que foi o melhor caminho...independente do que a gente resolva...no fim, o resultado será satisfatório.E também , vc poderá mudar o rumo quantas vezes vc quiser .Falo isso pq várias vezes pensei em desistir e decidia nao mais tocar no assunto,e assim foi por muito tempo.Depois de algum tempo, voltei atras e vi que eu não podia deixar de lado , esquecer ...uma coisa que eu queria muito.Bom , seu coração saberá sempre o que vc deve ou não fazer , e eu estarei torcendo muito por vc.
Um grande beijo

Milamerlini disse...

Querida obrigada pela força!!! Mas é um susto, né!!E com o tempo vou absorvendo!!!Creio na nossa vitoria!!! Mil beijos

Vivi disse...

Dalila...sinceramente...gosto de ler as coisas que vc escreve....vc me parece ser uma pessoa mto decidida..e olha,,,to torcendo mto pro baby vir viu....nossa....tanta gente que merece....e vc é uma delas...

nao queria q vc desistisse....

nao deixa de lado o seu sonho...


bjussssssss

Dalila disse...

Rose, os seus tambem não atualizam para mim! Nem os da Tati! Perco um monte de notícias... Que coisa!
Yes, tomara que seja dessa vez menina! Obrigada pela torcida!

Tati: pois é, a pena da vida é a gente não saber nunca como seria tomar o outro caminho... Mas tem coisa que dá para repensar mais tarde. Também já desisti outras vezes...enfim. Mas estou realmente cansadona.
Espero que dessa vez dê positivo, só para variar um pouco, né? Hehehe

Mila, é um choque, mas girl, esse é um tratamento como qualquer outro. Mas tem boas chances de sucesso, e é nisso que vc tem que focar! Boa sorte!

Vivi, gosto do seu blog também, de seus posts! Pois é menina, espero que dê certo dessa vez... A Tereza Batista aqui já tá cansada de guerra, sabe? Hehehe

Bjs e obrigada pela torcida meninas!

Val disse...

Dali, querida, é muito difícil chegarmos numa conclusão tão determinante como essa como foi para Claudia Collucci, principalmente para nós simples mortais que desejamos tanto ter um ou mais filhos.
Parece que só quem não quer engravida. Tenho uma amiga minha que está casada a 8 anos, e sempre postergou ao máximo a gravidez porque "não nasceu para isso, queria fazer tudo e sempre foi adiando" e ai como num passe de mágica fica grávida. É incrível. Talvez o fator ansiedade seja muito determinante. Quero te desejar serenidade sempre e felicidade para viver a vida com ou sem filhos mas de forma plena.
beijos

Dinha disse...

Dalila,

Eu acho que a vida de tentante vai caminhando aos poucos como da Cláudia, um dia um teste negativo, um fiv negativo, aos poucos vamos perdendo as esperanças, vamos caminhando com os sinais (da Ane) e vamos mudando o foco até ver teremos uma vida sem filhos.
Acho que algo bem gradual, estou nesta estrada há mais de 04 anos, e hoje não sofro todos os meses, já não choro todos os dias, não sonho todas as noites com bebezinhos, mas penso ainda todos os dias em gravidez, em filhos e bebezinhos.
Não faço testes de gravidez como fazia há dois atrás.
Então daqui há algum tempo, acho que será mais fácil tomar a decisão de desistir se caso os bebezinhos não aparecerem.
A gente cansa de médicos, cansa de exames, a gente cansa...
Espero que vc seja feliz realizando o seu sonho ou não.
acho que somos pequenos diante da vida, não sabemos o porquê, mas um dia saberemos.
Um forte abraço

tobege disse...

Dalila, sweetheart... Dizem por aí que não recebemos uma cruz que a gente não consegue carregar, não é verdade? E acho que vc está coberta de razão na sua decisão.
A infertilidade suga a gente demais, tira os nossos dias de vida, pois a gente só foca nesse assunto, vive e respira a possibilidade de gravidez.
Somos mais do que isso e você está certíssima em olhar à sua volta e ver que você tem muito o que agradecer também. Força, querida, pois sei que nenhuma decisão é tomada de maneira tranquila. Fique firme no seu propósito de ser feliz. Bjos!

Claudia Martins disse...

E eu pensando que estava te contando novidade...
O caminho que estou trilhando vc já tem passado.
Só posso te desejar boa sorte, em qualquer caminho que vá trilhar de agora em diante.
Que vc seja MUITO FELIZ!
Bjs.

chaverdecomlimao disse...

Dalila,
Assim como todo mundo acha alguuma coisa, eu também acho... hehehe
Acho que realmente chega uma hora que a gente repensa e enxerga os sinais. Acho sim que você já lutou e muito e agora está repensando. Não é definitivo, mas é uma resolução de vocês dois.
Sabe, na minha visão, se realmente eu não conseguir ter um filho, é porque realmente não era para ter. E tem tanta coisa na vida que a gente poe fazer, como viajar, viajar e viajar cada vez mais. Ter uma ótima vida, independente de ter ou não filhos.
Acho que mais a sociedade nos impõe do que qualquer otura coisa. convencionou-se que a muulher sem filhos não é completa. E por isso a gente se frustra. Porque se sente incompleta. Mas será que é imprescindível mesmo ter filhos? Não sei. Cada uma tem a sua vontade, os seus planos e a sua trajetória de escolhas.
Enfim, você e todas nós temos mais é que enxergar os sinais, sim (e isso me tocou muito quando a Ane falou, lembro sempre) e tentar... mas saber até onde podemos nos anular por um sonho que talvez possa não acontecer. Que não há dinheiro que compre, pois sabemos que se Deus não quer, nada é feito!
Quem segue na luta, que tenha boa sorte. E quem quer mudar os ventos, boa sorte também. Afinal, todos tem direito à felicidade à sua maneira e vontade.
Beijos querida.

Bibi
http://chaverdecomlimao.wordpress.com

chaverdecomlimao disse...

Ah, e depois te conto sobre Cancun... Tudo!!!
Bjo

Simone disse...

Dalila, estou a pouco tempo te acompanhando, mas você é guerreira, madura e se esse caminho, sendo definitivo ou não é o que vc planeja, pode ter certeza que estarei orando por vcs. Quem sabe dessa vez não vem um POSITIVÃO só pra variar... rssss
Deus te ilumine sempre.

Chlóe Croient disse...

Dalila, gostei demais do seu post!!! Está me fazendo pensar bastante.

Dalila disse...

Meninas, puxa, quanto comentário interessante!
Obrigada por toda a força e por tantas coisas compartilhadas, me fizeram refletir, muitos comentarios em balançaram, em fizeram repensar...
Puxa, como seria bom saber o futuro!
Quantas frustrações e expectativas iríamos evitar!
Mil beijos e obrigada pelos comentarios!

Ane disse...

Sabe como eu cheguei no seu blog? Com um post lindo que você escreveu sobre a vida sem filhos, acho que no começo de 2010... eu me identifiquei tanto com aquele post, e agora com esse... e olha que eu sou “a empolgada” quando se trata de adoção rs (mas não sou sozinha, minha família sou eu e o marido, e algumas coisas ainda estão sendo “gestadas” por ele...). Querida, faça planos sim, viva a sua vida através do que te dá prazer! Você vai viver sempre na lembrança daqueles que cativou, através dos laços que construiu. Se você parar e pensar está na metade da sua vida, no mínimo tem mais 35 anos aí pra viver rs, ou seja, tem muita lenha pra queimar! É claro que tem que tentar a FIV, mas a gente precisa saber a hora de parar, pq senão fica com aquela sensação de que está paralisada esperando algo acontecer, e isso é muito frustrante. Cada um sabe o seu limite, e se vc e o marido acordaram mais uma tentativa, vá com o coração, e confie para que o melhor para você aconteça!
Ah... se ainda não viu, dá uma olhada nesse site: http://www.semfilhos.org já tem até um movimento mundial dos “child free”, pelo menos dá para rir um pouco dos motivos que eles colocam... e o pior é que alguns são verdades...
Beijos