quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Notícias

Estava hoje procurando notícias sobre FIV hoje e vi duas delas, que compartilho aqui com vocês.
A primeira é preocupante, sobre um estudo que demonstrou que FIV após os 35 anos pode gerar filhos com síndrome de Down, não por causa da idade da paciente (como era sabido), mas por interferência da medicação para o tratamento.
Achei que o grupo de pesquisa foi pequeno, mas de qualquer forma é bom sabermos tudo que pudermos...
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/07/estudo-liga-fertilizacao-in-vitro-apos-35-anos-a-risco-maior-de-sindrome-de-down.html

Outra notícia:
Uma nova forma de reprodução assistida se chama INVO. Olhei em alguns sites e o processo parece ser muito parecido com o da FIV, porém com menos remédios. A única diferença no procedimento clínico (e que dizem deixar o tratamento mais barato) é que os embriões não ficam no laboratório nas placas de petri, mas são introduzidos em uma cápsula que é colocada na vagina da mulher e depois de três dias são retirados e transferidos para o útero. Não sei onde tem isso no Brasil, nem em quanto ficaria mais barato o processo, uma vez que a aspiração, transferência e exames são os mesmos...
Aqui no brasil só vi o caso abaixo e procurei explicações sobre o processo nos sites lá fora:
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/08/nasce-no-rj-o-1-bebe-brasileiro-com-ajuda-de-tecnica-de-fertilizacao-inedita.html

No mais, passei a semana balançada com o assunto adoção. Isso foi depois de eu ler um texto que peguei o link no blog da Lene, que mexeu muito comigo. E o que mais mexeu foi o texto que a Ane (girl, que legal, não sabia que era vc!) escreveu. É muito tocante a reação das crianças no shopping, a necessidade de aprovação e o medo, (tão franco, tão forte), do abandono. Bom, esse texto me virou de cabeça para baixo nesta semana...
Segue o link:
http://www.projetoacalantonatal.com.br/multimidia/noticias/193
Beijos e boa semana!

(by the way: a dieta acabou na segunda-feira mesmo! Hehe)

6 comentários:

Maria Livia disse...

Oi, Dalila! Já tinha visto a matéria sobre a INVO e achei bem interesante. Tb pesquisei na internet, mas não achei aqui em Sampa.
Qto ao artigo da Ane, é emocionante mesmo. Dá para imaginar a carência dessas crianças, né? E a gente com tanto amor pra dar... Eu estou juntando minha documentação para iniciar o processo. Bom te ver animada com isso de novo!!!
Bjinhos

Tati disse...

Que bom que vc apareceu Dalila.Senti falta dos seus posts.
Será que essa nova técnica INVO , já chegou no Brasil?
Muito emocionante o texto da Ane , que experiência ela teve !
Estou um pouco "desanimada" com essa questão da adoção.Assim como a Bibi , tenho bem lá no fundo, esperanças que aconteça uma gravidez natural...
Independente de engravidar ou não, eu gostaria de adotar.
Vamos ver o que Deus está preparando pra mim, pra nós.
Um beijao

chaverdecomlimao disse...

Oi Dá!
Eu recebi esse link da INVO e imediatamente passei para o meu médico que me falou que um amigo de SP já havia falado sobre isos com ele. Não entrei a fundo sobre se há ou não no Brasil, mas segunda tenho consulta e quero perguntar. Tudo que puder ajudar é bem vindo né?!
Sobre a adoção, eu sinceramente queria ter isso mais maduro lá em casa, mas ainda nem tocamos nesse assunto. Não quero sofrer por antecipação. Então, quando for a hora, sei que vai surgir!
Beijos.

Dalila disse...

Olá Maria Lívia, olha só, a Bibi vai se informar para nós, aí corremos atras, quem sabe não é mais fácil e barata mesmo?
Tati, vamos ver essa Invo. E o texto da Ane é de cortar o coração...
Bibi, aguardo seu retorno, ansiosa! Hehe

Quanto a adoção, meninas, é bom pensar bem e estar muito preparado. A nova lei complicou muito, então, ou lutamos para mudar essa lei, ou temos que ter muita certeza e paciência com esse negócio.
Creio que todas nós ainda podemos ter nossos filhos biológicos. E vamos ter, com certeza, basta só lutarmos mais um pouquinho!
Bjs e obrigada pelos comentários!

Ane disse...

Amiga, que bom que gostou do meu texto. Eu faço trabalho num abrigo todo sábado...não é fácil, pq me sinto uma pulguinha. Adotar não é fácil, e varia muito de comarca para comarca, a justiça é uma merda no
Brasil, e enquanto isso as crianças vão crescendo nos abrigos. Mas eu percebi que eu consigo amar uma criança que não nasceu de mim, não tem meus traços, mas só vai se desenvolver e crescer com o meu amor, meus valores, meu apoio...
No meu caso estamos dando um passo de cada vez, mas a adoção faz parte da minha vida...só não sei ainda como...rs
Torço muuuito por vc!
Beijos

Dalila disse...

Ahhh girl, isso é muito legal (seu texto foi maravilhoso!)
Eu visitava abrigos, mas acho que nao estou muito preparada psicologicamente para ajudar as crianças, eu fico gostando delas, e sofro demais com as histórias e volto para casa deprimida...Espero no futuro ajudar mais...
Mas não sei quando e se a adoção entrará em nossas vidas ainda...
Como vc, um passo de cada vez... E os passos agora são para os tratamentos.
E vamos conseguir!
Bjs!