segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Decisões

A discussão da FIV garantida teve andamento até uma amiga minha me dar um safanão e me perguntar o que mesmo que eu queria, se era um filho ou acabar doente depois de tantos tratamentos.
A verdade é que não sabemos o que o excesso de hormônios pode nos causar a longo prazo, principalmente nos casos como os meus, de varias ocorrências de câncer na família.
OK, pelo risco ou não, depois dessa eu resolvi conversar com meu marido. Tivemos uma conversa séria, sobre como vamos conduzir essa história de filhos em nossas vidas.
E bem, o resultado é que decidimos que não vamos vender carro nenhum e que não vamos fazer a garantida nada. Que só iremos gastar com isso dinheiro que temos, pois por três vezes alguns milhares de reais viraram fumaça.
Meu marido falou que vivemos dizendo que vamos viajar e no fim, nunca viajamos, e ficamos ainda revisitando esse assunto de filhos, acabamos não vivendo ou fazendo outros planos, ficamos sempre nesse assunto.
E que temos que entender que a vida não é como esperamos. Muita coisa dá errado. Não esperávamos perder várias pessoas que amamos, mas as perdemos mesmo assim, gostaríamos de ter filhos, mas pode ser que nunca tenhamos. E que temos que viver mesmo assim. E viver. Afinal somos felizes, temos um ao outro, somos uma família, mesmo que composta de duas pessoas e dois cachorros (hehehe). Além das mães, pais, tias, cunhadas, etc. que são nossa família.
Então, decidimos:
* Fazer mais uma tentativa em Janeiro.
* Fazer uma viagem internacional no ano que vem.
O sonho da minha vida é conhecer a Europa, seus castelos, igrejas góticas, anjos dourados, gárgulas, estátuas belíssimas e história milenar.
Se não der no ano que vem por causa da FIV, vamos para um lugar mais barato, como Miami ou Cancun. Então iremos para a Europa em 2013 (se o mundo não acabar).
Mas essa programação eu quero seguir!
E... E se essa FIV de janeiro também não der certo? Talvez eu volte para a programação original de fazer 5 FIVs na vida, pois eu preciso resolver esse assunto um dia. Seja pelo nascimento do meu filho, seja por um dia eu decidir que a maternidade não era para mim...

Então, vamos aguardar a tentativa de Janeiro e a viagem que vamos programar!

8 comentários:

Ane disse...

Muito bem, amiga!!!!! Enxergando vida além da maternidade! Retomando os planos de casais, viagens....a gente meio que se perde nesse período, mas tem que parar, respirar, e lembrar da mulher que vc era antes, com seus interesses, atividades, amizades, momentos de romance com o maridão.... viver a vida além da fiv.
Torco muito por vc!
beijos

Tati disse...

É difícil mudar o foco quando queremos muito uma coisa , mas vc está certíssima fazendo planos e pensando em outras coisas.Quem sabe se vc conseguir se distrair mais e esquecer só um pouco esse assunto , não acontece um milagre né?
Não é impossível.
Um super beijo pra vc.
Ahhh, com essa decisão de vcs , vc se sente melhor?Espero que esteja mais animada para aproveitar bastante todos os momentos da sua vida.Beijocas

Dinha disse...

Dalila,

realmente ainda não conseguir chegar a uma conclusão de quando parar...
Esse momento é difícil, um dia tenho que decidir..
Acho que vc está certa, temos que definir até onde podemos insistir e até onde podemos colocar um ponto final...
Beijocas e que sou ponto final seja eles viveram felizes pra sempre....

Camila disse...

Oie,descisao dificil!Mas vcs estao certos,em pensar em vcs!Fazendo planos pode ajudar vc a sentir melhor sim em relacao ao futuro e ate mesmo em filhos!Sei que de pensar em nao poder ter um bebe doi demais, mas agente nao controla tudo neh!Importante que tem uma outra tentativa em vista!Vamos torcer!
Beijao

chaverdecomlimao disse...

Dá, querida!
eu acho que é muito válido, primeiro, conversar. Expor os sentimentos e ter uma opinião. Principalmente se for a do parceiro, né?!
Depois, fazer planos. É saudável, dá um foco pra vida. E se não dá certo uma coisa, parte-se para outra.
Eu não ando postando muita coisa no blog sobre tratamentos, maternidade, etc... até porque não quero me tornar repititiva.
Meu foco são as férias, depois os exames e depois vamos ver o que me aguarda...
Temos sim que estar preparadas, pois podemos nãos er mães mesmo, nesta vida. Só Deus sabe o que nos reserva.
Então, seguimos em frente. Viajando, estudando, cuidando de outras pessoas. E fazendo o que gostamos.
Beijos e que tudo dê certo!

Susana Pina disse...

Oh Dalila, compreendo tão bem as estas tuas palavras.
Nestes quase 21 anos de infertilidade eu quase deixei de viver a minha vida, vivia só para a realização do meu sonho. era necessário juntarmos dinheiro para os tratamentos, viviamos numa casa com 40 anos porque não havia hipótese de comprarmos outra, não saimos, não jantavamos fora e as férias eram feitas no nosso apartamento minusculo que compramos bem perto do local onde vivemos. Um dia também tivemos que decidir que isto não era vida. Começamos a construir a nossa casa e colocamos a infertilidade de lado durante cerca de um ano e meio, e nem imaginas como me soube bem...senti-me liberta, vivi outros objectivos, outros sonhos. Mas depois voltamos e ainda bem que o fizemos, quando optamos por gastarmos o resto das reservas financeiras que tinham sobrado da construção da casa...a recompensa está aqui dentro da minha barriga já com 34 semanas.
Fazes bem em procurares realizar outros sonhos e viveres a viva para além da infertilidade.
Desejo que corra tudo bem.
Um bj grande
Susana Pina

Dalila disse...

Meninas,
Muito obrigada por toda o apoio, sabe que tem dias que sinto falta de vocês, dos posts... Tento pararum pouco, ver outras coisas, mas sinto falta realmente de vcs, dessa nossa batalha, planos, dos resultados (os positivos de muitas), etc.
Vou fazer isso sim.
Beijos e boa semana!

Lene disse...

Querida, estah certissima. Siga seus planos e vc vai ver como a felicidade esta nas pequenas coisas. bjos