quarta-feira, 25 de junho de 2008

Adoção


Parece que o próximo passo após as FIVs frustradas é a adoção. Como cada um tem um limite, não digo que em alguns anos eu não venha a tentar de novo as FIVs, mas por hora, parece ser esta a única opção.
Mas o fato é que a adoção é algo que eu acho que já tem que nascer com a pessoa. Tenho muito medo de ter a eterna sensação de estar criando os filhos dos outros e estes filhos jamais serem a minha família. E isso absolutamente não é justo com a criança, que merece no mínimo ser amada, principalmente depois de ter sido rejeitada pelos pais naturais.
A outra coisa que surge é: eu conseguiria levar a situação? Quer dizer, o que envolve criar uma criança adotada? Quais os fantasmas que teremos que enfrentar para sempre? O fantasma dos pais verdadeiros e a possibilidade de um dia eles baterem em nossas portas? O fantasma da vontade da criança de conhecer os pais verdadeiros? O fantasma da incapacidade de lidar com o passado da criança? Como deverá ser isso tudo??
Infelizmente não me sinto capaz de lidar com tudo isso. São muitas laranjas no ar para minha pequenina cabecinha... já basta a morte do meu irmão, o processo dos monstros, toda a briga que já enfrentei para pôr estes monstros na cadeia, o contato com a justiça da pior forma, em seu pior lado. Será que eu teria condições de ter mais problemas para carregar? Ou talvez as crianças sejam apenas e somente alegria e esperança e todas estas dúvidas não tenham importância...
Vou visitar um orfanato e descobrir o que acho de lá. Será que vou ter alguma afinidade com as crianças? ou vou voltar chorando como da última vez que visitei uma instituição para crianças com problemas?
De qualquer forma, minha vida está bastante esquisita com o foco apenas em dietas para emagrecer e com a sensação estranha de que agora sobram quartos nesta casa com apenas 2 pessoas...

3 comentários:

Cacá = ] disse...

Dá,

Você é uma pessoa maravilhosa, dedicada, e eu tenho certeza absoluta de que seria uma ótima mamãe, independente de que maneira. Não sou mãe (como vc sabe rsrsrs), mas acredito que ser mãe vai além do que conceber um novo ser. Não que isso não seja importante. Mas eu acho que quando estamos dispostos a AMAR acima de qualquer situação, nada importa, nem as origens nem nada.
Na minha opinião Adoção é uma coisa linda D+! Você seria uma linda mamãe e se vc deixar vou mimar seu filhinho ou filhinha muitão!!!

Amo você Dá, Obrigada por tudo!

uma bjoka...Deus te abençoe menina!

Cibele disse...

Olá Dalila.

Bem, primeiramente quero compartilhar a dor que é fazer o tal exame (onde injetam contraste no útero), meu Deus achei que não iria aguentar mas consegui, agora é só aguardar o resultado até segunda-feira. Agora gostaria de compartilhar contigo a experiência da adoção, pois sou filha adotiva e única. Sei que existem muitas histórias negativas sobre o assunto, como vc disse muitos fantasmas, mas acredite cada ser é diferente do outro, não dá pra prever o futuro, nem as mães biológicas sabem o que serão dos seus filhos, elas educam com muito amor mas não sabem como será a vida de seus filhos ao passo que crescem, mas nem por isso desistem de ter seus filhos e de amá-los incondicionalmente. Portanto, acredite Dalila, tenha paz no seu coração que as coisas acontecerão naturalmente.
Se quiser podemos conversar mais sobre o assunto, ta?
Um grande beijo!
Cibele

Dalila disse...

Querida Cacá, agradeço pelas lindas palavras e pela força de verdade!

Cibele, que legal que vc tenha esta experiência e sabe, é ótimo ouvir isso de alguém que passou por isso e que pode clarear um pouco as idéias de quem não tem a menor idéia de como funciona a adoção!
Tenho certeza que sua mãe deve ser muito orgulhosa de vc, por tudo que vc é, pelo que já conquistou e pelo o que batalha tanto para conquistar!
Mil beijos e obrigada pela força!