segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Sobre isso e aquilo

Em 1991 uma cigana colocou as cartas de tarot na mesa e me disse que eu encontraria o homem de minha vida entre os dias 15 e 20 junho. Disse que ele seria moreno claro, que eu já o conhecia superficialmente, mas que neste dia as coisas iriam mudar e nós começaríamos a namorar. Que eu sairia com uma amiga e que eu encontraria meu futuro namorado usando blusa clara...
- O que mais? Ele é bonito? Eu conheço? É da escola (eu tinha 15 anos...)? Quem é?
- O que eu posso te falar é apenas isso.
- E vamos nos casar?
- Ah, isso eu não consigo ver...

OK, no dia 20 de junho, após quase ter perdido as esperanças, uma amigona bateu em minha porta e me convidou para ir à uma festa junina. Contei para ela e fomos à caça.

Chegando lá, meu marido e o amigo pararam para conversar conosco. Eu nem me toquei, mesmo após ter passado a noite toda tentando descobrir se o desconhecido de blusa azul-céu que comia churros e babava doce-de-leite seria eventualmente o amor da minha vida. E bem, conversa vai, conversa vem e a minha amiga resolveu levantar a blusa cor-de-vinho que meu futuro marido estava usando. E surpresa: ele estava de camiseta branca!

O certo é que nunca descobri se qualquer outra pessoa de blusa amarelinha era a verdadeira predição das cartas; mas o fato é que aquela camiseta branca por baixo da cor-de-vinho gerou boas risadas e o começo de um relaciomento que durou 11 anos até o casamento (não é à toa que a cigana não pode ver casamento, acho que a "visão" não conseguia chegar a tanto!!). E bem, 5 anos depois estamos nós aqui, há 16 anos juntos, e pensando (e tentanto!) ter nosso primeiro filho.

Algumas pessoas poderão me perguntar por que eu não consulto a mesma cigana novamente, mas terei que dizer que minha fase esotérica já passou e também que aquela cigana desapareceu, pois assim sua ausência permanece com uma aura de mistério...

Well, parece que nem todas as previsões de futuro são furadas... Ou isso foi só uma coincidência que gerou um casamento por causa da coincidência?? Será que tostines vende mais por que é mais fresquinho ou é mais fresquinho por que vende mais??? Well, we will never know...

No mais, vamos falar sobre outras coisitas esquisitas que dominam nossas idéinhas...

"Filhos, por que tê-los? Mas se não tê-los, como sabê-los?"

Minha história não é muito linda também e na verdade já passei pelo inferno, pois não acredito que possa passar por algo tão terrível novamente. E então, quando a vida começa a recomeçar (?!) e o céu deixa de ser de um negro profundo, decidimos pelo reinicio da vida, uma chance de vida para este mundo caótico, para nossas vidas sombrias e quem sabe uma chance de sorrir de novo... e bem, surpresa. No kids. Nada de testes positivos, enjôos, mamadeiras, fraldas e escolinhas. Nada. Tudo igual, por anos. Mês após mês, mês após mês, período após período... Mas, não era sobre isso que eu estava escrevendo. Estava escrevendo sobre coisas que estão escritas, ou que devem estar escritas, ou que não estão escritas porcaria nenhuma. Sei lá. Será que estão? Se estão, será que os bebês não vêm? Ou será que a solução está em nossas caras e parece que ainda não acreditamos?

Mas o fato é que parece que eu tinha mais pecados a pagar do que eu imaginava. Devo ter queimado freiras em outras vidas, ou ter judiado das professoras durante o maternal... Por que afinal, não sou tão ruim assim e sabe, não me lembro de ter prejudicado alguém na vida deliberadamente ou não ter ajudado alguém quando me pediram. Mas não é só isso. Não sei o que é. Mas não deve ser. Nunca pensei muito em ter filhos, mas nunca imaginei que não pudesse tê-los. E tomar a decisão de tê-los não foi nada fácil, imagine escutar a decisão da natureza todos os meses dizendo que sua decisão não importa, e que isto é algo além, algo fora de sua alçada, algo fora de seu alcance e de seu poder de decisão. 1 a 0 para a natureza. (um a zero ou 36x0 para a natureza, se considerarmos os últimos 36 meses?) Ichi, tô perdendo feio...

O que sei é que os médicos nos deram as opções (?) e bem, diante de tantas, tantas e tantas opções, decidimos pela única opção possível. Mas não quero falar dela no momento, ainda estou muito estranha em relação a isso...

2 comentários:

Sw disse...

Nunca ía imaginar que foi assim que vocês se conheceram!!!! Quanta magia! rs... Puxa vida, já estava pensando em perguntar onde era essa cartomante (ou seria ela um cupido?). Quanto ao baby, aí vai uma dica pra vc e pras meninas que estão tentando: depois da relação, fique deitada, imóvel, com as pernas e quadril bem para cima (vale até apoiá-las na cabeceira da cama!). Fique nessa posição por uns 20 min. e não se lave com duchinha de jeito nenhum! Parece ridículo (na verdade "é mesmo"), mas funciona. Boa sorte a todas! Beijinhos, Sw.

Cris - tudo por um baby disse...

Oi Sw,
Valeu pela dica!
Só é bom explicar para o marido, pois acho que ele vai achar bastante esquisito vc virar as pernas para cima em vez de virar para o lado para dormir...
E please, não fiquem peladas com as pernas para cima, tenham modos!! rsrsrs