terça-feira, 2 de julho de 2013

Retrospectiva 1: Relato de Parto

Finalmente vou contar como foi o parto!

Parte 1 - pré-parto

Eu fiquei com uma coceira infernal nos últimos dias, urina cor de coca-cola (acho que tive mesmo a colestase, mas nem cheguei a comentar com o médico sobre a urina, ele marcou o parto e como eu nao falava nada sem me derramar em lágrimas, acabei por nem tocar no assunto), sem dormir nos últimos dias por causa da azia e da dor nas costas, então os últimos dias foram longos, cansativos e difíceis. O médico optou por marcar a cesárea para a semana 38, por causa das injeções de anticoagulante e para evitar o maximo todos os riscos, inclusive o de o bebê passar um pouquinho e talvez o ingerir mecônio. Minha bolsa também não podia romper por causa do risco de contaminação da bactéria que eu tinha (lembram do exame que fiz e deu positivo?).
Ele pediu para marcar para o fim da semana de 15/04, mas dia 16/04 seria o aniversário do meu falecido irmão e eu gostaria que ele nascesse nessa data (ele faleceu aos 25 anos e faria 35 nesse ano), mas não havia vagas no hospital em 16/04 e nem disponibilidade da equipe médica. Então,  agendamos para o dia 17/04, quarta-feira. Talvez tenha sido melhor, pois nunca superamos a morte do meu irmão e seria difícil celebrar as duas datas ao mesmo tempo todos os anos... Seu lá, prefiro pensar que aconteceu o que era para acontecer... Enfim, ele saberá do tio e saberá que o aniversario dele era um dia antes do seu.

E a última semana de gravidez demorou um século para passar...

Parte 2 - Dia do parto

E aí, chegou o dia. Agendamos o parto para 17/04 às 19h, mas eu teria que me internar às 08h da manhã para tomar as 3 doses de penicilina por causa da bactéria encontrada no exame antes do parto.

Coloquei um vestido marrom que me acompanhou a gravidez toda, agendei com a empresa de filmagem do parto (e foi o video mais lindo que já fiz na vida! Primeiro me arrependi, pois achei que era uma invasão de privacidade, que tinha cometido um erro e que não iria me sentir bem com um estranho filmando, mas o video ficou emocionante, com belas músicas, imagens em preto e branco, ficou inesquecível), saímos de casa, tomamos café da manhã em uma padaria vizinha da casa e meu marido esqueceu a carteira em casa, coisa que nunca aconteceu na historia desse país... Rsrsrsrs tivemos que voltar buscar.  Buscamos, nos atrasamos e chegamos no hospital às 8h30.

Fizeram minha internação, mas nao tinha quarto do meu convênio então fiquei no SUS para a primeira dose de penicilina. Fiquei ao lado de uma mocinha muito bonita que tinha dado a luz uma menininha e estava perdida, ela, a mãe dela (e eu, que nem pude dar nenhuma dica), sem saber o que fazer em seguida...  Fiquei imaginando meu bebê em poucas horas e eu tambem não saberia exatamente como dar de mamar ou como pôr para arrotar, etc... Rsrs

Passei o dia calma, pensando que hoje seria o dia mais feliz da minha vida e que finalmente eu iria ver a carinha daquela pessoa que crescia dentro de mim e que havia me escolhido para ser sua mãe...

Meu marido passou o dia comigo e perto das 16h minha mãe e pai chegaram lá para esperar pelo parto. Minha sogra e cunhadas chegaram mais perto do horario do parto e o rapaz da filmagem chegou um pouco antes também. Tomei a última dose de antibiótico, tomei um banho correndo, coloquei a camisola ao contrário (me avisaram para arrumar rsrs) e fui para o centro cirúrgico...

Corredor longo e branco e eu deitada, olhando para o teto.

Sogra e cunhada chegando, marido ao lado. Crucifixo em cima da porta. O coração começou a acelerar. E se desse algo errado? E se algo acontecesse? Comigo? com o bebê?

Me deixaram no corredor em frente ao centro cirúrgico sozinha, aguardando a equipe médica.
 Sobre um armário, havia uma imagem de Nossa Senhora. (Rezei muito para ela, para dar tudo certo, para meu filho nascer com saúde, para eu poder vê-lo nascer, para ter a chance de vê-lo crescer e desejei de todo meu coração que ele nascesse perfeito e saudável e que tivesse uma vida longa e protegida e ... Comecei a chorar e tive que me acertar e pensar em outra coisa.)
Eu estava toda maquiada por causa da filmagem e as enfermeiras passavam e me falavam que eu estava bonita para ir para a cirurgia, hehehe, e isso me distraiu...

Parte 3 - o Parto

Chegou a hora, o marido voltou, vestido com roupas do hospital, o filmador junto, o médico chegou, a pediatra, e me levaram para dentro da sala. 
Olhei para as lâmpadas todas sobre mim e me lembrei de ter entrado em salas como essa 4 vezes na minha vida: para fazer minhas 4 FIVs. E hoje eu estava ali, olhando para as mesmas lâmpadas cirúrgicas enormes, mas desta vez não para tentar o sonho de ter um filho, mas para realizar o sonho que eu tanto havia buscado...
o anestesista aplicou a rack (teve que me espetar 3 vezes, mas ok) e depois de um tempo me falou para levantar as pernas. Eu sempre imaginei que não sentiria as pernas, mas na verdade, a sensação foi de ter as pernas presas em uma tonelada de concreto...rsrs Sim, eu estava pronta!
e então os medicos mexeram e mexeram e mexeram (achei que estavam batendo um bolo lá! rsrsrs) e então meu médico falou:
-ele vai nascer!
meu marido saiu do meu lado e foi lá ver e dentro de alguns segundos eu ouvi...
Ouvi o choro daquele que seria meu filho para sempre, daquele que esperei por tantos e tantos anos, daquele que viria para nossa familia, preencher nossos corações e nossas vidas... ele chorou e chorou e eu chorei e chorei e agradeci a Deus por ele nascer saudavel, forte e chorando, por ele estar vivo, estar bem! consegui vê-lo de longe, nas mãos da obstetra e agradeci mais uma vez por ele ser perfeito, agradeci por esse momento e por Deus ter me dado a chance de viver até ver esse dia... daí, até ir para o quarto eu não parei mais de chorar, nunca senti tanta gratidão e alivio na vida.
Meu marido veio me dizer que ele tinha nascido com 3,150 kg, fiquei olhando para ele enquanto era medido, pesado, registrado, limpo... ao sair da balança, meu  bebezinho chorando e peladinho agarrou um cabo que ficava pendurado atrás da balança não queria mais largar... Todos rimos e  pediatra perguntou para o cara da filmagem se ele havia capturado aquilo... ele fez que sim e rimos de novo quando ela teve que tirar dedinho por dedinho dele do cabo, pois ele nao queria largar...

Então ela terminou de arrumá-lo e finalmente trouxe-o para mim, para eu vê-lo de perto pela primeira vez. Ao colocá-lo sobre o meu peito ele parou imediatamente de chorar. Ficou serio, me olhando curioso, prestando atençao no que eu estava falando para ele agora...o que será que ele pensou? ele também estava me vendo pela primeira vez...
eu pensei em muitas e muitas coisas para falar para ele nessa hora, mas o que saiu foi mais ou menos isso:
- oi, Henrique, bem vindo ao mundo, meu filho! eu sou sua mãe, vc acredita!? Deus te abençõe, te guie te guarde... (não tenho mais a menor ideia do que mais eu falei, mas pensei e desejei que Deus desse para ele todas as alegrias do mundo, que lhe desse muita saúde, força, uma vida longa e abençoada e que por favor, pelo amor e Deus, o protegesse de todo o mal para sempre, todos os dias de sua vida)...

Entregaram o meu bebezinho para meu marido, que ficou conversando comigo com ele no colo e entao eu comecei a tremer igual vara verde. A cirurgia terminou e eu tremia tanto que eu batia na maca. Os médicos falaram comigo e eu não tenho a menor ideia do que respondi, sei que disseram que era uma reação normal à anestesia, e sei que nem agradeci ao meu obstetra, que foi ótimo, nem à equipe (ou agradeci? sei lá) e uma enfermeira me perguntou se eu queria levar o bebê no colo para o quarto. Falei que não, pois sem conseguir levantar nem a cabeça por causa da anestesia e tremendo daquele jeito, eu tinha medo de não segura-lo direito. Meu marido o levou no colo. A familia estava toda esperando na saída do centro cirúrgico e ficaram todos muito emocionados em ver aquele pequeno bebezinho quietinho no colo do meu marido...

Esse era meu filho! mal eu podia acreditar!

Parte 4 - pós parto

Nesse hospital os bebês ficam com as mães no quarto o tempo todo, não há berçario. Então ele foi comigo para o quarto e em meio a uma confusão que se instalou na minha cabeça (por causa da anestesia, acho, estava cansada, confusa, nervosa, emocionada, tremendo, enfim...), tentaram fazer ele mamar mas eu não sabia dar o peito e para minha surpresa, ele também não sabia pegar... sei que foi uma noite confusa, com enfermeiros entrando e saindo a noite toda, eu morrendo de sede e frio, gente apertando meus peitos, trocando minha fralda, vendo minha sonda, colocando novo soro... gente, (e a frase a seguir é censurada para as grávidas - grávidas, não leiam, spoiler à frente) mas a cesárea dói prá carai!! vixe!!
Sei que colocavam ele para mamar de novo e eu falava que não tinha leite e ninguém acreditava e dava apertar os peitos de novo e não, não tinha nada e começava tudo de novo com os soros, as fraldas, as injeções e não poder levantar  a cabeça e ele não conseguia pegar o peito e...
enfim, amanheceu desse jeito e eu estava um caco no dia seguinte.
e bom, quem já fez cesarea sabe que o primeiro banho é inesquecível. É putcha fod@. desculpem o francês... rsrs. Mas, recado para as grávidas: melhora. Hora após hora vc melhora. Dia após dia, vc melhora. Depois de uns 4 ou 5 dias vc já está boa, viu?
e bom, passei esse primeiro dia com meu bebezinho pequeninho, sem leite nem colostro, olhando para ele e ainda não acreditando... e  ele passou esse primeiro dia quase todo dormindo quietinho, chorou poucas vezes , tomou leite no copinho que as enfermeiras deram, tentou pegar o peito, mas ele chupava as próprias bochechinhas e fazia covinha, enfim, passamos juntos um dia sem saber como fazer as coisas de mãe e filho, mas tentamos o dia todo...
Foi o primeiro dia que fui mãe, que tinha alguém ali, que dependeria de mim, totalmente indefeso, tão frágil e pequenininho. E meu, meu de verdade. Era verdade, meu sonho havia virado realidade. Agora eu acreditava!


depois  eu conto como foram os primeiros dias...

8 comentários:

*Marcela Lima - A mãe do Davi* disse...

Soluçando aqui de tanto chorar com este post!!!! Qta emoção!!!
Dali,parabens pelo seu milagre, pela sua gratidão...
Que seu bebê, o Henrique, seja sempre o maior motivo de todas as suas gargalhadas!! A maior alegria da sua vida e de todos q o cercam!!!

Um bjo enorme,

http://meupequenoreidavi.blogspot.com.br/

Dinha disse...

Dali,
Essa última frase resume toda a nossa luta, e não tem como não se emocionar, por um sonho realizado, por uma luta vencida.
Parabéns amiga!
Henrique seja um filho maravilhoso, porque ele soube escolher muito bem a sua família.
Bjs

Val disse...

Dali
chorei muito com seu relato, senti cada frase, cada palavra.
Lindo demais!
vida longa ao princípe e sua família!!!!

beijos

Val

Mamãe da Marina (Bibi) disse...

Dali, querida!
Que lindo relato, parece que pude ver cada cena, criar cada palavra aqui na minha cabeça.
E você merece e sempre mereceu toda essa felicidade. Henrique é lindo, saudável e tem os melhores pais que poderia ter.
Muito lindo o post!
Beijo pra vocês! Saudades!
Bibi

Lyanna Souza disse...

Lindo relato!!! Imagino a emoção... Deus é fiel!!!! Louvo a ele por vc ter tido esse grande privilégio!!!! Sempre torci muito por vc!!!! Tudo de melhor sempre!!!!Bjos!!!!

Rose Cris disse...

Querida, estou realmente emocionada com seu post. Tenho uma filha de 13 anos e hj, no meu segundo casamento, já estou com tantas tentativas frustradas...são 4 anos de tentativas...uma FIV, uma TEC e se Deus quiser estou indo pra minha segunda TEC em agosto.
Espero que meu sonho se realize, como o seu.
Amei seu cantinho!!!
Depois vai conhecer meu cantinho!
Beijocas!
Rose

http://sonhofilho.blogspot.com.br

Dali disse...

Queridas! Obrigada de coração!
Rose Cris, torcendo por vc, viu? Boa sorte!

ballerinarj disse...

Ainda estou nas minhas tentativas e iniciarei minha primeira inseminação artificial no próximo mês de agosto (2014). Será uma IIU e estou muito confiante!

Fiquei extremamente emocionada com o relato do seu parto. Chorei mesmo.

Espero que, daqui a 9 meses, passe por emoção semelhante.

Que o Henrique esteja crescendo com muita saúde!

Beijo,

Ballerina
(ababyonthewayin2014.wordpress.com)